segunda-feira, 25 de maio de 2009

Meninos de Rua

Essa questão envolvendo crianças e jovens que passam o dia perambulando pelas ruas da Ilha, sobretudo na Portuguesa, onde é maior a concentração de bancos e pessoas aposentadas é de dar medo.Sem atenção das autoridades de proteção à criança, que tem um Conselho Tutelar omisso e agentes dos serviços sociais que não saem dos gabinetes, aumenta a cada dia a quantidade de crianças que vagam sem destino pelas ruas. Sem referência de educação e desprovidos do discernimento entre o bem e o mal, muitos deles se drogam, e com fome amedrontam as pessoas nas calçadas e os motoristas nos sinais quase que exigindo dinheiro.
Para os moradores da Ilha a situação é triste e muitos se compadecem com aqueles que pedem um salgado ou alguns centavos. Um deles, com cerca de doze anos e uma das pernas amputadas, diz morar na Favela do Jacaré, perto do Méier. Ele garante que a população da Ilha é mais solidaria e ajuda mais que nos outros bairros por isso fica por aqui, e é visto dormindo durante o dia, no meio do calçadão da Portuguesa, perto do Banco do Brasil. Chamado diversas vezes o Conselho Tutelar nunca se interessou em ajudá-lo.
Enquanto isso, outros desses meninos e meninas são mais agressivos e praticamente arrancam o dinheiro da mão das pessoas como é o caso que o Ilha Notícias denuncia na primeira página. Donos de lanchonetes e restaurantes são os que mais reclamam da invasão de gente pedindo comida. E são eles que denunciam a maneira agressiva, que principalmente os menores, estão agindo contra quem se nega dar esmola ou pagar um salgado.
A população quer atitude das autoridades, tanto para ajudar esses menores sem rumo, como para proteger seus idosos e crianças, que com certeza não são os culpados por esse grave problema.
joserichard@uol.com.brwww.blogjoserichard.blogspot.com