quarta-feira, 8 de junho de 2011

Vivendo aos 100 anos



O aniversário da dona Emília que completa 100 anos de vida no próximo dia 8 deve ser comemorado por todos nós. É flagrante que a cada dia está maior o número de pessoas que ultrapassa o centenário com saúde e lucidez. O vertiginoso avanço da ciência e a alimentação mais saudável tem ajudado aqueles que são abençoados por Deus como a vó Emília. Cabe cumprimentar a família que a cerca de carinho e admiração. 


Provavelmente este seja outro motivo da longevidade da matriarca. Embora quem tem a cabeça no lugar e respeita o próximo não admita outro tipo de tratamento com uma pessoa idosa, é incrível a quantidade de casos cujos pais e avós são literalmente abandonados pela família e passam a viver de favores, mendigando agasalhos e comida. Nas comunidades estão os casos mais deprimentes. Eles sofrem junto com outras pessoas, cuja deficiência física necessita do amparo de alguém para se movimentar. É muito triste!


Por outro lado, embora a vida esteja dura e com poucas perspectivas profissionais para quem passa dos 50 anos, é no exemplo de dona Emília que devemos projetar nosso futuro e lutar muito. A vitalidade está nas caminhadas - como ela ensina -, que fazem bem ao corpo e sobretudo à mente. Cinquenta anos é só a metade do caminho e a consciência disso ajuda a revitalizar forças e sonhos. Tenho dó daqueles que ao chegar a essa idade colocam na cabeça que a aposentadoria é uma prioridade para garantir o futuro. Bobagem! Isso é coisa do século passado quando, por exemplo, muitas mulheres eram obrigadas a serem apenas donas de casa e logo se desinteressavam pela vida, acumulando peso e angústias, sem ter com o que sonhar. O mundo mudou e exige muita atividade de todos para garantir disposição e aproveitar as diversões e programas que estão disponíveis para todas as idades.