sábado, 18 de agosto de 2018

A CAMPANHA ELEITORAL COMEÇOU



                A campanha eleitoral começou nesta semana, e a população da Ilha do Governador e Fundão terão papel importante para a eleição de muitos candidatos. O Fundão pelos milhares de universitários e a Ilha do Governador que possui uma população de leitores superior a maioria das cidades do estado do Rio de Janeiro.
               Candidatos preparados e que assumam compromissos com a região devem ser um dos principais critérios para decidir seu voto. A nossa região precisa mais desenvolvimento, boa qualidade de vida e gerar novos empregos. Precisamos de parlamentares capazes com atuação política intensa tanto na área federal como estadual.  
               Por exemplo, o transporte marítimo, que é responsabilidade do estado, precisa ser revitalizado para e se tornar o principal meio de transporte de massa, tanto da Ilha do Governador como Fundão. É um dos compromissos que os bons candidatos precisam assumir para obter votos na região.
               Ao longo desta campanha, na esfera federal, senadores e deputados federais precisam incluir nas suas prioridades, e serem cobrados, para garantir compromissos e criar incentivos à indústria naval, de modo a reabrir em toda sua potência o nosso estaleiro EISA, que sozinho pode garantir novos empregos para cerca de quatro mil trabalhadores.
              Por mais que a política esteja desmoralizada, existem candidatos sérios e qualificados. O primeiro turno das eleições será no domingo, dia 7 de outubro. Até lá é importante conhecer candidatos e propostas. Analise bem prepare-se para votar e pedir votos para quem pode fazer a diferença. E principalmente mereça ser votado. 
               A campanha eleitoral começou.

sexta-feira, 3 de agosto de 2018

SISTEMA DE TRANSPORTE PÚBLICO ESTÁ UM CAOS E PASSAGEIROS SÃO AS VÍTIMAS

Barcas velhas e inseguras ainda fazem o transporte de passageiros. 
Em maio de 2015, a embarcação Vital Brasil bateu no cais do Terminal 
do Cocotá e bombeiros foram acionados para retirar os passageiros. 

             Enquanto o sistema público de transporte de passageiros não for resgatado em sua importância e respeito com os passageiros, acredito que não poderá ser exigido da população senão muita indignação. São guerreiros os cidadãos, homens e mulheres que sofrem diariamente, e por anos, no aperto dos ônibus lotados onde a maioria viaja em pé como se fossem sacos de batatas, jogados pra todo lado nas paradas e curvas. É terrível suportar tudo sem ter a opção de outros meios de transporte público pontual, limpo e confortável.
             O trabalhador enfrenta uma verdadeira guerra na qual ele é o grande derrotado. Guerra que se repete todos dias como fosse um pesadelo, sem nenhuma perspectiva e esperança. São graves os maus tratos a que são submetidas as pessoas que esperam durante longo tempo por ônibus lotados nos pontos. Não há respeito. As barcas, ônibus e vans funcionam mal e só atendem aos interesses dos donos, cujo único objetivo é a receita.
             As barcas no trajeto Ilha x Centro e vice versa só fazem viagens com lucro. Todos os outros horários que podiam atender a população foram descartados e deixam os insulanos sem opção. Isso é um desrespeito inadmissível com o direito de ir e vir. É uma verdadeira covardia contra a população que precisa estudar, trabalhar e cumprir outras responsabilidades, mas que fica refém de um sistema onde há inércia no planejamento e falta respeito com a população.
             Assim também funcionam vans e ônibus numa dimensão maior e mais perigosa. Dezenas de ônibus velhos e sujos enguiçam diariamente, na Ilha, deixando passageiros na mão. Enquanto centenas de vans desrespeitam todas as regras de trânsito, não aceitam o cartão, nem idosos. Os motoristas desses veículos andam feito loucos pelas ruas na captura de passageiros e desrespeitam os sinais de trânsito, circulam de portas abertas, além de ocupar os pontos de ônibus até conseguir a lotação. Sofrem os passageiros com o barulho que produzem em busca da lotação completa e chegam a mudar itinerários para ganhar mais. É o que interessa: lucrar. O povo sofrido e sozinho em suas desesperanças, e já sem forças para reclamar é a grande vítima. É uma vergonha tudo isso!

sexta-feira, 1 de junho de 2018

AS AUTORIDADES DEVEM TER MAIS ATENÇÃO COM OS MOVIMENTOS QUE PODEM PARALISAR A NAÇÃO E PREJUDICAR SEU POVO, ANTECIPANDO-SE NAS SOLUÇÕES


Um dos pontos de paralisação dos caminhoneiros e a quantidade de veículos 

              As graves consequências do movimento dos caminhoneiros que nesta semana atingiu praticamente todas as cidades brasileiras demonstram a nossa extrema dependência das áreas de transporte, energia elétrica e fornecimento de água, por exemplo. Elas são quase tão essenciais como o ar que respiramos. 
              Os serviços públicos nas áreas da saúde, educação e segurança seguem na mesma linha de prioridade para garantir a qualidade de vida da população e são essenciais para a nossa existência. Portanto, nossas autoridades deveriam se preocupar mais em planejar ações eficientes para não acontecer novos fatos como os desta semana que praticamente paralisaram a nação. 
             As dificuldades criadas pela falta de combustível gerou graves problemas em todas as áreas, e afetou drasticamente o ir e vir de todas as pessoas. Trabalhadores foram impedidos de chegar às empresas, doentes não foram atendidos e escolas foram fechadas, entre centenas de outras consequências ruins, e que provocaram astronômicos prejuízos a todos brasileiros, inclusive aos próprios manifestantes. Por que não fizeram a paralisação com os caminhões vazios?
           O que pensam os famintos nessas horas, quando milhares de toneladas de alimentos apodreceram na carroceria dos caminhões? É irracional fazer uma paralisação com caminhões carregados de alimentos perecíveis e com animais vivos. Milhares de frangos acabaram morrendo de fome e sede. 
            Não tem cabimento essa irracionalidade que gerou prejuízos gravíssimos e provavelmente vão levar o Brasil a um novo desiquilíbrio econômico. Não tenho dúvidas de que existem manipulações políticas daqueles que desenvolvem a máxima do quanto pior melhor. 
              As justas reivindicações dos caminhoneiros foram conquistadas, e elas também seriam atendidas se usassem outras formas de paralis
ações sem condenar o restante da população a viver dias de caos.

sexta-feira, 25 de maio de 2018

PROTESTO DOS CAMINHONEIROS É UM FORTE ALERTA PARA AS AUTORIDADES

A paralisação dos caminhoneiros 
tomou conta das principais rodovias do país

              A fragilidade das instituições públicas diante da greve dos caminhoneiros gerou sérias preocupações ao governo que se viu refém de um movimento que aparentemente não foi provocado por partidos políticos, mas pela insatisfação de uma classe que há muito tempo vive no sacrifício.
              Os recentes aumentos consecutivos nos preços dos combustíveis, estabelecidos pela Petrobras aumentaram a preocupação dos motoristas, cujos ganhos foram sendo diluídos a cada vez que enchem o tanque. A pressão se tornou insuportável e a classe, de modo organizado, se uniu em todo Brasil, provocando o caos no abastecimento. A população e os negócios sofrem as consequências, mas quando as autoridades fazem ouvidos de mercador não restam alternativas, senão criar fatos para resgatar a dignidade de uma profissão tão relevante para o país.
              Embora os transtornos causados a todos brasileiros, não há como negar que a paralisação dos caminhoneiros foi justa, sobretudo por chamar mais uma vez a atenção sobre a quantidade de impostos embutidos na venda dos combustíveis, que tornam os derivados de petróleo uma grande fonte de arrecadação dos governos, cuja incompetência para resolver a crise ganhou a nota máxima.
           Muitas outras categorias profissionais têm o poder de praticamente parar as atividades econômicas do país, através de protestos semelhantes que podem gerar prejuízos incalculáveis a todos cidadãos e atividades produtivas. Tenho a esperança de que nossos líderes políticos percebam a gravidade do momento para evitar um novo caos como o desta semana. 
             Para isso os governos precisam agir para diminuir impostos e tornar os produtos mais baratos. O trabalhador brasileiro precisa respirar e sair desta verdadeira escravidão de impostos. Acabar com a corrupção pública é uma das soluções.

quinta-feira, 17 de maio de 2018

É PÉSSIMO O SERVIÇO DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS REALIZADO PELAS BARCAS

             O problema do transporte marítimo de passageiros operado pela concessionária CCR já atingiu os limites da paciência dos habitantes da Ilha do Governador. As expectativas de que o sistema poderia melhorar com a colocação de novas embarcações com mais horários foi à deriva e ninguém fala sobre o assunto.
              Enquanto a concessionária tenta se livrar da linha, que ela considera um abacaxi, comparado com a rentável linha Rio x Niterói, os passageiros insulanos pagam o pato viajando em barcas velhas, desconfortáveis e perigosas. Além disso, os 3 horários para as viagens, tanto de ida como de volta, são subdimensionados para o potencial das necessidades de uma região com quase 300 mil habitantes.
            O pior é que, como algumas outras prioridades que dependem das ações públicas, não existe nenhuma perspectiva para revitalizar o uso de barcas, opção de transporte tão importante para uma região cujas características geográficas permitem o transporte pelo mar.
             O uso de embarcações de pequeno e médio porte poderia ser a solução para fazer a ligação entre diversas cidades do entorno da Baía de Guanabara como também entre alguns bairros da cidade do Rio de Janeiro e os aeroportos Santos Dumont e Galeão. 
              Embora a concessão linhas para o transporte marítimo entre cidades seja de responsabilidade do Estado, os municípios poderiam modificar as regras e assumir esse tipo transporte para beneficiar seus habitantes. Prefeitos e vereadores certamente seriam aplaudidos pelos moradores.