segunda-feira, 11 de julho de 2011

Engarrafamento diário é um problema para os insulanos





É enorme o movimento de veículos que transitam na Ilha do Governador, sobretudo durante os dias de semana. A rotina da economia interna movimenta uma população em torno de 300 mil habitantes e torna o trânsito pesado nas principais vias que ligam os diversos bairros da região. Os deslocamentos para o trabalho, colégio e outros afazeres da população cria essa movimentação que gera desenvolvimento. Além disso, é saudável na medida que amplia novos negócios e amizades. A Estrada do Galeão como vetor principal alimenta e é escoamento de vias importantes da região. Embora muitas vezes os motoristas reclamem de buracos nas ruas internas, provocados pela chuva ou falta de manutenção, o problema maior, que verdadeiramente estressa os motoristas, são as kombis e vans que fazem o transporte alternativo.

Cerca de mil delas, entre legalizadas e ilegais, tumultuam as vias principais e provocam retenções inadmissíveis na movimentação de veículos entre os bairros.

A Estrada do Galeão - nos dois sentidos - a partir da Casa Show até a ponte, praticamente regula o bom humor diário dos milhares de moradores que precisam sair e entrar na Ilha. O fluxo de saída pela manhã, cada dia acontece mais cedo. Quem sai de casa depois das sete corre o risco de enfrentar a Linha Vermelha congestionada para o centro da cidade. À tarde, entre dezesseis e vinte horas, a expectativa de chegar rapidamente à entrada da Ilha também depende da intensidade de trânsito na Avenida Brasil e Linha Vermelha. Alguns locais, nas vias principais, precisam de um reestudo da engenharia de trânsito, de modo a diminuir as retenções de veículos e melhorar o fluxo, sobretudo no final da tarde. O ponto de ônibus localizado em frente ao Banco do Brasil, na Portuguesa, é um deles. O desembarque dos passageiros dos ônibus e do transporte alternativo no mesmo local provoca uma grande confusão que acaba gerando um engarrafamento rotineiro desde o Hospital da Aeronáutica. Resolver problemas pontuais como esse vai ajudar na busca de melhor qualidade de vida dos insulanos.