sexta-feira, 2 de julho de 2010

Seleção sem todos os melhores

Esta Copa nos traz ensinamentos do mundo do futebol que vão além das Jabulanis e Vuvuzelas. Sabia que o tal de Cristiano Ronaldo da seleção de Portugal era bom de bola, mas fiquei perplexo com o jeitão do “melhor do mundo” na hora de bater as faltas. Sua vaidade supera a beleza anunciada pelas mulheres. Os telões dos estádios servem de espelho para Cristiano ajeitar a toda hora o visual e perder a atenção nos jogos. Tanto é verdade, que o time da turma do fado já voltou para casa, depois da derrota para a Espanha. O craque português foi um fiasco como jogador, mas deixou um estilo de jogo diferente e feio, ao tomar distância para bater as faltas nos jogos. Que pose! Pena que nossos Ronaldos não estão por lá. Eles seriam capa das revistas e jornais de todo mundo, pela beleza do futebol arte que possuem. Mas vocês sabem como é o Dunga. Um chato! Deixou excelentes jogadores de fora da seleção como: Neymar, Ganso e o goleiro Vitor do Grêmio. Os poucos craques que estão na África como o goleiro Júlio Cesar, Robinho, Nilmar, Kaká, Lúcio e Juan estão levando o time nas costas. Eles contam com eventuais lampejos de bom futebol do restante da equipe que parece se esforçar, sem muito brilho, para apresentar um futebol à altura do país Pentacampeão do Mundo.

Enquanto a maioria da população está ligada na Copa, não sabe que na próxima quarta-feira, dia 7, começa a campanha eleitoral de 2010. Aliás, acho que esta ficha só vai cair depois do último jogo na África do Sul. Difícil e chata vai ser a transformação de cada um de nós torcedores em eleitores. Ainda bem que os programas políticos só vão ao ar na segunda quinzena de agosto. Para os políticos que tiveram seus nomes homologados durante as convenções de junho, o momento é de formar as equipes de campanha, bolar e encomendar os materiais de propaganda permitidos pela legislação eleitoral. Eles sabem que agora ninguém quer falar de política. É só futebol.


joserichard@uol.com.br



www.twitter.com/joserichard