domingo, 28 de maio de 2017

FALTAM ESTADISTAS NO BRASIL. ESCÂNDALOS EM SÉRIE LEVAM CONCEITO DOS POLÍTICOS PARA O ESGOTO.


             Acordos entre políticos sem escrúpulos e empresários bandidos produzem a pior crise institucional de todos os tempos no Brasil. A devastadora série de escândalos envolvendo personalidades cujo conceito foi para o esgoto é amarga e quase paralisa a nação, prejudicando milhões de brasileiros que assistem os acontecimentos estarrecidos.
            A falta de princípios dos líderes políticos e de empresários, criminosamente bem sucedidos, é um péssimo exemplo para as novas gerações que, na busca de bons exemplos de ética se decepcionam com as notícias de negociatas envolvendo propinas milionárias que roubam o dinheiro público sem pudor. O desespero dos quase 15 milhões de trabalhadores desempregados e de outros milhões de brasileiros doentes que acabam morrendo à espera de medicamentos e consultas é insuportável.
              Vivemos uma época sem estadistas. Os grandes homens públicos não existem mais e o espaço está ocupado por uma maioria de oportunista cuja prioridade é o seu próprio enriquecimento. Inexistem grandes tribunos e se multiplicam os fanfarrões que mudam de lado conforme as conveniências pessoais, deixando atrás de si terra arrasada para a população.
            É compreensível que muitas pessoas competentes e íntegras não tenham mais ânimo em participar de responsabilidades públicas para não conviver em ambientes onde a corrupção prospera e as verdadeiras aspirações dos brasileiros e da nação são vistas como simples argumentos eleitorais. Mas não há motivo para desanimar, o bem sempre vence. As transformações que o Brasil está vivendo, com dezenas de maus políticos nas prisões, se deve a ação corajosa de homens íntegros. Eles podem ainda ser poucos, mas as suas ações contra os corruptos nos encorajam a acreditar que o Brasil ficará mais forte após esse tsunami na política.

MOTOS NÃO RESPEITAM SINAIS NEM A POLÍCIA NA ILHA

             
              A insegurança nas ruas provocadas por centenas de motos que circulam sem placas ou com a placa encoberta, certamente para não ser identificada, é um absurdo. Nesta semana, estava parado em um sinal vermelho da Estrada do Galeão, no meio de outros veículos e alguns ônibus, quando duas motos, ultrapassaram o sinal fechado sem nenhum constrangimento. Mais adiante ultrapassaram uma viatura da PM sem serem abordados. 
               Diante de fato tão corriqueiro, alguns leitores podem me pedir para comentar, nesse espaço, sobre alguma novidade, porque isso todo mundo já sabe. O abuso e desrespeito das motocicletas contra as leis do trânsito nas ruas da Ilha, já não causa espanto para alguns, mas ainda afeta a maioria da população. A desfaçatez dos motoqueiros que cometem ilegalidades no trânsito, agride quem tem princípios e zela pela obediência às leis. É a parte do iceberg submerso das irregularidades no trânsito, também cometidas pelas vans e que precisam, urgente, ter mais fiscalização das autoridades.
             Também é inacreditável a velocidade que as motos circulam entre os carros, fato que além de assustar os motoristas, coloca em risco os pedestres que atravessam as vias nas faixas de segurança. Enquanto esses motoqueiros abusam dos limites e trazem problemas na fluidez do trânsito, os motoristas são obrigados a tomar cuidados extremos para não causar batidas em algumas delas e ferir gravemente os motociclistas que se arriscam em manobras perigosas e talvez não percebam a fragilidade a que se expõe entre os carros.
             Enquanto a polícia não agir de modo rigoroso e permanentemente contra a circulação de motos sem placas e motociclistas sem capacetes, eles vão entender que a polícia é conivente e continuarão a gerar ilegalidades no trânsito. Afinal, onde não existe fiscalização os irresponsáveis agem livremente.