sexta-feira, 18 de março de 2016

Crise moral afeta economia e o povo brasileiro é quem sofre


              Está insuportável essa avalanche de más notícias envolvendo autoridades e grandes empresas em ações criminosas e propinas. O despreparo na gestão do país nos leva ao caos econômico e a índices recordes de desempregos, colocando milhões de famílias em situação de absoluto desespero. O momento é tão grave de incompetência que simples ações burocráticas são confusas e desconexas, como o de ministros demitidos após poucos dias no exercício do cargo, pela ilegalidade do ato, como foi o caso do ministro da justiça, nesta semana que passou. É uma vergonha!  
             A confusão que reina em Brasília, reflete no Brasil, prejudicando todas as atividades produtivas e confundindo as expectativas de jovens que não conseguem projetar suas carreiras diante de denúncias e delações em cascata. Quem está no poder parece estar sem rumo e desconhece a responsabilidade que deveria ter com a vida de mais de 200 milhões de brasileiros, povo alegre e criativo que está atônito.
             A perplexidade dos brasileiros está registrada nos protestos de indignação e nos panelaços de revolta. São atos contra a burrice das autoridades cujos prejuízos atingem fortemente a população. O cidadão brasileiro defende a constituição mas sente falta de instrumentos legais que o protejam de toda confusão gerada pelos atos que afetam gravemente a vida de cada um.
            As prisões de Curitiba estão lotadas de políticos e empresários graúdos todos suspeitos ou condenados por crimes de corrupção, cujo mérito é do juiz Sérgio Moro e da sua equipe. A crise política e econômica é de fato uma crise moral sem precedentes. O Brasil e seu povo não mereciam.