quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Vans continuam a desrespeitar todas as leis de trânsito na Ilha


Vans estacionam nos pontos para fazer lotação e 
passageiros dos ônibus são obrigados a descer no meio da rua

              O mau serviço de transporte de passageiros prestado pelas vans é recorrente e supera as barreiras do absurdo. O desrespeito às regras de trânsito e o descaso com a segurança dos passageiros coloca em risco os outros veículos e pedestres.
             É “normal” vans circularem com portas abertas, ultrapassando o sinal fechado e até cortando caminho pelas calçadas quase atropelando pedestres. Não há limites para essa desordem que envergonha a Ilha e conta com a omissão ou conivência das autoridades que deveriam estar agindo intensamente na fiscalização.
             O serviço das vans é essencial mas está uma bagunça. Idosos reclamam que a maioria não respeita a gratuidade ou simplesmente proibemna turma da 3ª idade entrar. No jornal, são inúmeros os casos de leitores que relatam o quanto são reféns das regras fora da lei, impostas pelos motoristas e cobradores.
             Em alguns pontos de ônibus, com grande quantidade de passageiros, o espaço é disputado na força pelos motoristas de vans. É “normal” eles se imporem como donos do pedaço. Estacionam seus veículos até completarem a lotação não importando a demora e a confusão que criam. Aos passageiros que reclamam da demora mandam sair ou ameaçam com palavrões.
             Enquanto isso, os ônibus são obrigados a deixar seus passageiros no meio da rua gerando lentidão no trânsito e coloca pessoas em risco de atropelamento. Não é possível que esse fato seja considerado normal pelos agentes do trânsito cuja competência para gerar multas contra motoristas particulares parece ser a mais eficiente do mundo. 
             É revoltante o caos do nosso sistema de mobilidade urbana. A metade da frota de ônibus que serve a Ilha está em frangalhos, as barcas sexagenárias estão caindo aos pedaços, e a bagunça nas ruas, provocada pelas vans completa o cenário desanimador.

joserichard.ilha@gmail.com