sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Parabéns Professor!!!



              O Dia do Professor foi comemorado na quinta (15) e além da homenagear aos mestres quero manifestar minha admiração à classe. Tenho muito respeito por todos os professores, sejam aqueles que dão aulas particulares ou em escolas públicas e colégios privados. Imagino nos tempos atuais a dificuldade para obter a concentração de alunos ligados no celular 24h. As redes sociais como Twitter, Instagram, Facebook e os jogos virtuais com players simultâneos em diversos países catalisam de modo absoluto a atenção dos jovens durante as aulas e no resto do dia. Até as ligações telefônicas perderam espaço e estão em segundo plano com a evolução do WhatsApp cujas funções tecnológicas integram todos os sistemas de comunicação com envio de mensagens, voz, imagens e vídeos, etc.
              Imagino as dificuldades de adaptação da direção das escolas e dos professores, sobretudo os mais experientes, competindo atenção com essas novas mídias. As transformações na última década foram tão grandes e rápidas que viraram o mundo de cabeça prá baixo.
Praticamente todo conhecimento do planeta, desde o seu início, está na internet e, sendo atualizado a cada segundo.
             Parabéns professores. Deve ser duro conquistar a atenção dos alunos em sala de aula desafiando toda essa magia digital ao alcance das mãos. Portanto, homenagear os mestres, é o que este jornal deve fazer para reverenciar a vocação e determinação de todos vocês. O mestre de hoje precisa estar à frente no conhecimento e entender a cabeça dessa geração que ainda não tem a mínima ideia como vai ser o futuro da humanidade nem o próprio. As transformações são tão absurdas e rápidas que o medo do desconhecido escondido na sombra do amanhã pode gerar inseguranças e medo. Ensinar neste cenário é admirável. Felicidades a todos os mestres!

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

A Ilha está marcando passo enquanto a cidade se moderniza








Desconfio que as autoridades públicas ainda não perceberam a importância estratégica da Ilha do Governador no cenário da cidade. Os investimentos na região são poucos e o desenvolvimento urbano segue a passos lentos, como se a região fosse uma daquelas pequenas cidades esquecidas do interior. O fato é que temos uma população de quase 300 mil habitantes - mais gente do que Cabo Frio, Petrópolis ou Teresópolis, por exemplo -, mas os investimentos públicos são direcionados quase exclusivamente apenas para conservação do que já existe, como recapeamento asfáltico de ruas e pequenas obras pontuais de recuperação como desmoronamentos e buracos. De vez em quando uma estátua é inaugurada.

Localizada quase no centro da Baía de Guanabara, a Ilha merece um plano estratégico diferenciado e com viés para explorar as vocações naturais que demandam do aeroporto internacional - o segundo maior do Brasil , cuja logística ainda não utiliza o sistema de transporte marítimo no deslocamento de passageiros e cargas Já o entorno da costa leste da Ilha poderia desenvolver a indústria turística e naval. A existência do estaleiro Eisa, a cerca de 9 km de distância da entrada da Ilha é prova de que é possível o desenvolvimento do setor, viabilizando a operação de pequenos e médios estaleiros destinados a fabricação de lanchas esportivas ou embarcações de pesca. Basta colocar em prática uma política que estimule novos negócios nesse fantástico setor que está em expansão em muitas cidades do litoral. 

A Ilha está colocada em segundo plano na agenda do futuro e sofre um processo de retração urbana cujas ações resolvem parte de questões menores de interesse público. As pequenas intervenções paroquiais não deixam as coisas piorarem, mas também não significam avanços. Estamos marcando passo, enquanto o tempo passa e a cidade se moderniza.