quinta-feira, 12 de março de 2015

A orla pode ser considerada uma moldura da Ilha do Governador

Entre as Pitangueiras e a Praia da Bandeira uma bela residência avança sobre a orla

              A orla faz a Ilha do Governador diferente das outras regiões da cidade e qualquer investimento público no urbanismo dos bairros localizados junto às praias, pode gerar importante fluxo de desenvolvimento. A orla bem cuidada com atrações gastronômicas e atividades turísticas, como passeios de barcos pela Baía de Guanabara pode proporcionar a criação de novos negócios e a geração de muitos empregos, tirando o setor da estagnação.
              Com a despoluição das areias da Praia da Bica, que por mais de vinte anos sofreu com três grandes línguas negras, surgiram diversas atividade de lazer e esportivas que atualmente atraem centenas de novos frequentadores, e se tornou um point da juventude. E, neste final de semana a prefeitura inaugura as obras da orla da Freguesia, com novos quiosques, iluminação e obras de infraestrutura. 
            Essas novidades na Freguesia devem trazer de volta a antiga vocação bucólica e de lazer do bairro, que agora terá estímulo natural para o retorno de bons restaurantes como Don Franguito, Tabuão e A Tasca da Ilha que atraíam clientes de toda cidade.
             Na Praia da Engenhoca ainda é preciso resolver a questão do refluxo das águas pluviais que recebem esgoto de ligações clandestinas para manter-se como alternativa de lazer importante. Um olhar sobre o trecho entre o Cocotá e o Zumbi revela que esse pedaço de orla também precisa receber um tratamento urbanístico, talvez com foco para o turismo e alguma estrutura para os barcos à vela e pequenas lanchas. 
            A orla é uma verdadeira moldura para a Ilha. Nenhuma outra região da cidade tem esse potencial. Talvez o entusiasmo com o resgate da orla da Freguesia estimule nossas autoridades a entender a importância da orla e beneficiar toda a sua extensão.

joserichard@uol.com.br