segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Miséria aumenta e atinge oito milhões de brasileiros


Casas em condições precárias abrigam famílias que vivem na completa miséria

              O Governo Federal divulgou nesta semana que a quantidade de pessoas miseráveis no Brasil aumentou em 2014. Agora são mais de oito milhões de brasileiros, que vivem e sofrem, na absoluta miséria, quase sem ter o que comer. Enquanto isso, as denúncias de corrupções milionárias, que beneficiam gente do próprio governo aumentam e estão sem controle. Além disso, centenas de escolas e hospitais continuam em estado precário em muitas cidades prevendo um futuro pior para mais brasileiros. Parece que nada muda nesse triste cenário de desonestidade e conivência com a desfaçatez. 
               Com essa notícia, curiosamente divulgada após o resultado das eleições, ficamos sabendo que a situação está muito ruim, e piorando, para grande parte de brasileiros. Não é justo. É desumano!
              Esse tempo pós eleições tem sido de notícias péssimas: aumento de energia, aumento da gasolina, dólar nas alturas e perspectivas sombrias na economia para os próximos meses. Esse clima de aumentos e incertezas nos permite entender, o que já sabíamos e a imprensa denunciava. A gravidade das contas públicas estavam contidas para não atrapalhar a estratégia do próprio governo, que acabou comemorando o sucesso desse plano com a reeleição da presidenta. Os meios utilizados fortaleceram a ilusão de que os brasileiros vivem num país sem crises. A verdade chega agora como um fardo que não acredito que todos possam carregar diante das incertezas que o futuro prepara, sobretudo, para esses oito milhões que vivem na extrema pobreza.
              Nossa luta deve ser pelo Brasil, mas começa pela Ilha do Governador onde precisamos garantir mais qualidade vida para todos os moradores sem exclusões, melhorando a mobilidade urbana e outras prioridades que conhecemos, coisas que só vão acontecer se exigirmos das autoridades a atenção que a região merece por sua importância estratégica na cidade. Não vamos desistir!
joserichard@uol.com.br