sábado, 28 de maio de 2016

A Ilha do Governador é uma região diferente da cidade e requer ações públicas específicas e urgentes



A Ilha do Governador (32 Km2) tem intensa densidade de construções e população -
excluídas as áreas do aeroporto e das unidades militares. Como se trata de um território relativamente pequeno e diferente - por ser uma ilha - as soluções precisam ser diferentes do restante da cidade. 


             É inadmissível que uma região com cerca de 300 mil habitantes e milhares de empresas, além do 2º maior aeroporto do país não tenha das autoridades a atenção que deveria ter e acumula problemas cujas soluções não tem prazo para serem resolvidos.
              Elenco nesta coluna quatro  principais denuncias que chegam à redação do Ilha Notícias e que incomodam, constrangem e causam indignação nos moradores da Ilha.
             Os protestos contra os abusos no trânsito causado pelo império das vans nas ruas da Ilha é quase uma unanimidade. A maioria dos motoristas desses veículos abusam nas transgressões e causam pânico aos demais motoristas e pedestres. A confusão que provocam nas ruas significa atraso, próprio de lugares onde a lei não existe. É uma vergonha!
            O sistema de barcas é ineficiente há muito tempo. Com poucas viagens programadas e intervalos que não são cumpridos a concessionária exagera na ineficiência com embarcações velhas e lentas. Alguns pequenos acidentes já sinalizaram que deixou de ser o transporte mais seguro. 
            Os constantes congestionamentos na Estrada do Galeão são uma tradição que compromete a qualidade de vida e irrita motoristas que muitas vezes não encontram razão para certas blitz, ou de pequenos acidentes que acabam em engarrafamentos fantásticos por absoluta falta de agentes de prontidão para desobstruir a via, orientar motoristas e dar velocidade ao trânsito. 
             A inexistência de período de tolerância nos três estacionamentos da Estrada do Galeão, todos sob concessão da prefeitura é uma agressão à economia dos pequenos lojistas que amargam prejuízos diante da crise, e assistem constrangidos essa cobrança injusta que diminui o movimento comercial. 
              Quem vai resolver?

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Wagner Victer é o novo secretário Estadual de Educação

Wagner Victer assumiu a Secretaria de Educação 
e a sua atuação gera expectativas positivas 

              A nomeação do engenheiro e professor universitário Wagner Victer como Secretário Estadual de Educação cria excelentes expectativas para o setor no Rio de Janeiro e renova esperanças para o ensino funcionar como principal área pública do Estado, cuja obrigação é preparar os jovens estudantes com conhecimentos à altura dos desafios do mundo contemporâneo.
             A crise na educação é incomum e grave. O Colégio Mendes de Moraes que sempre foi referência de ensino público na Ilha, formando diversas gerações de bons alunos, foi palco nas últimas semanas de acontecimentos vergonhosos que não estão à altura do conceito da instituição.
             Victer tem personalidade e experiência para enfrentar e vencer os atuais conflitos da Educação. É homem público, independente e sério com força política suficiente para fazer o governo entender que a Educação precisa ser uma das principais prioridades da democracia. Ele já foi secretário de Minas e Energia, presidente da Cedae e da Faetec, e sabe como fazer a máquina pública funcionar. Capacitado para as novas funções, Victer tem a oportunidade de revolucionar o ensino em nosso Estado.
              Outrossim, o Estado precisa entender que professores precisam de bons salários, pagos em dia, e reconhecimento do valor individual como mestres. Esse mesmo Estado, precisa realizar mais ações positivas para ganhar autoridade e ser respeitado por alunos inquietos que, por sua vez, precisam provar que são excelentes estudantes e assim conquistar direitos, sucesso social e respeito da sociedade. 
              Todos os cariocas e fluminenses torcem pelo sucesso do bom insulano Wagner Victer no comando da Educação. Boa sorte!.