segunda-feira, 23 de junho de 2014

Ilha não pode ser depósito de carros abandonados

Muitos veículos estão abandonados em praças, calçadas e terrenos baldios

              Proliferam na Ilha do Governador carros abandonados por diversas ruas e bairros. As vezes moradores deixam seus veículos sem as mínimas condições de uso em frente a própria residência por anos intermináveis, causando transtorno aos vizinhos e sujeira em torno do carro que apodrece a cada dia e acaba se tornando um péssima referência na rua.
              Pior é quando desconhecidos abandonam veículos em péssimo estado em ruas ou sobre as calçadas. Em pouco tempo, viram carcaças inúteis em virtude da canibalização que acontece durante a noite por marginais. Esses veículos acabam se transformando em montes de metal, sem rodas, motor e bancos, servindo principalmente para esconderijo de marginais ou foco de mosquitos, baratas e ratos. O incômodo à vizinhança é grande e parece não existir nenhuma ação constante das autoridades para remover esses carros abandonados.
              O mato nas laterais da estrada que vai para Tubiacanga já foi um verdadeiro cemitério de carros abandonados. Muitos desses veículos eram roubados, incendiados e jogados nas madrugadas pela região. Agora a quantidade é menor, talvez pelas obras do novo Posto do Detran ao lado do Parque Royal. Havia também a denúncias de que alguns desses carros faziam parte do “golpe do seguro”. Um esquema era planejado para os veículos sumirem e os proprietários receberem o seguro. Essas ações criminosas somadas ao simples abandono, porque o donos não tinham condições de consertar o veículo, geraram uma grande quantidade de carcaças que produzem doenças e servem de esconderijo para atos criminosos. Imagine os problemas que um carro abandonado na porta da sua cada por meses é capaz de produzir.
Cabe às autoridades agir logo. A Ilha não pode se transformar no depósito de carros abandonados da cidade. 

joserichard@uol.com.br

2 comentários:

Anônimo disse...

Só na rua Capitão Barbosa, no Cocotá tem 2 carros nesse estado, todos os dias somem peças desses carros.... um absurdo.

Anônimo disse...

Muito bem notado. A Ilha transformou-se em um grande depósito de carros abandonados. Também não existe aqui a tal da Lei de Ordem Urbana, pois as ruas transformaram-se em imensos estacionamentos, onde nem sequer o caminhão da Comlurb consegue passar sem aperto. E a cena piora quando so varredores das ruas não conseguem terminar o serviço, pois está cheio de carros estacionados, o dia inteiro! Quero ver a situação piorar se tiver incêncio e o caminhão dos bombeiros não conseguir estacionar. Cadê a ordem urbana na Ilha do Governador?
Algo precisa ser feito.