segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

A OCUPAÇÃO DE TERRENO DA UNIÃO, NA RIBEIRA, PREOCUPA MORADORES E COMERCIANTES DA ILHA

A imagem pode conter: planta, céu, árvore, atividades ao ar livre, natureza e água
Vista aérea atual de parte do terreno que está endo ocupado 

             A notícia de venda de lotes no gigantesco terreno da União onde antes seria construído um Terminal Pesqueiro, na Ribeira, é um crime que provavelmente somente será resolvido através de uma ação judicial de reintegração de posse que já deve ter sido encaminhada pelo governo federal. 
             Moradores da Ilha temem que, se nada for feito para impedir a ocupação ilegal do terreno, o local possa se transformar em um loteamento descontrolado, sem as mínimas condições de infraestrutura, como rede de água e esgotos. Um caos.
             O completo abandono do terreno por alguns anos e a lentidão do governo federal para agir, logo nos primeiros movimentos da ocupação, preocupa toda a população da Ilha que teme, há algum tempo, o surgimento de uma nova comunidade, com todos os problemas da falta de planejamento e ilegalidades. 
              A localização à beira do mar e com um cais para acesso de embarcações de médio porte é um fato que torna imprevisível o uso por eventuais futuros moradores que poderão criar rotas de acesso e despejo de esgotos sem tratamento, além do descarte de todo o tipo de lixo.
             A expectativa agora é que com a repercussão na imprensa e a constatação da ilegalidade da ocupação, as autoridades públicas ajam para desocupação do terreno e, imediatamente, o governo construa uma escola, hospital ou outro empreendimento que gere qualidade de vida e desenvolvimento à região.

Nenhum comentário: