segunda-feira, 15 de outubro de 2018

ILHA DO GOVERNADOR E FUNDÃO TEM VIRTUDES E VOCAÇÕES PARA SEREM UMA CIDADE

       Trrês  pontes ligam a Ilha do Governador ao Fundão

              É uma pena que a Ilha do Governador e Fundão não sejam um município. Tem todas as condições para isso, sobretudo um conjunto de fatores que geram receitas importantes para garantir o funcionamento e gestão do que seria uma cidade próspera, e com melhor qualidade de vida.
              No cenário da cidade do Rio de Janeiro, a região é importante estrategicamente, não apenas pelo Aeroporto Internacional Tom Jobim, porta de entrada da cidade, e por onde chegam milhares de turistas para o Brasil, mas também pelas centenas de grandes empreendimentos tanto na área aeroportuária como naval. Seria importante que a região tivesse mais independência para resolver questões locais para gerar mais desenvolvimento e progresso. Nossa rotina é diferente das outras regiões da cidade e precisaria ter mais apoio de todos os níveis de governo: federal, estadual e municipal.
              Exemplo: nas ruas são poucos os policiais militares, guardas municipais e agentes de trânsito para conter o avanço de vans e outros transportes piratas perigosos que tomam conta do trânsito transformando as ruas num verdadeiro inferno e fazem a região ter o pior serviço de mobilidade urbana do Estado. As vans produzem as mais insensatas loucuras nas ruas para transportar passageiros que esperam ônibus velhos que não chegam, e barcas velhas e lentas que fazem apenas três viagens por dia e não funcionam nos finais de semana. Para o restante da cidade isso não tem a mínima importância, mas para os insulanos são questões relevantes que incomodam e prejudicam toda população de quase 300 mil pessoas.
              A região tem vocação e virtudes para o desenvolvimento que são próprias e específicas de território semelhantes cercado pelas águas, como a indústria pesqueira e a naval de pequeno e médio porte. Precisamos de um olhar e ações urgentes das autoridades que buscam o progresso do país.

Nenhum comentário: